fbpx
Categorias
notícias

Atualizar-se e reinventar-se são os maiores trunfos diante de um mercado de trabalho competitivo

Quem chega no estúdio iTattooClub vai encontrar o proprietário Daniel Couto Tavares, de 40 anos, cheio de tatuagens, com um papo cabeça e um estilo de se vestir moderno, não imagina que até algum tempo atrás ele mantinha uma rotina totalmente diferente: acordar cedo, vestir terno e gravata e sair de sua casa para trabalhar em um banco onde atuava como analista financeiro.

A história de Daniel mostra que no mercado profissional, principalmente em momentos de crise, não ter medo de se reinventar e buscar atualizações constantes, são as maneiras de conquistar patamares ainda maiores. “No fim de 2007, eu trabalhava no banco e resolvi ser sócio do meu pai na marca de skatewear Vitamina Skateboard”, conta o empresário.

Assim como Daniel, grande parte dos profissionais atuais não pensa mais em ter um emprego nos moldes antigos. Pelo menos foi o que revelou a consultoria em recursos humanos ManPower este ano, por meio do estudo Carreiras da Geração Milênio: Visão de 2020. Mais da metade dos profissionais da Geração Milênio romperiam com as formas “tradicionais” de trabalho e cerca de 34% estão abertos a se tornarem autônomos nos próximos anos.

Apesar de ter conquistado espaço e sucesso, o caminho foi cheio de altos e baixos para Daniel. Em 2009, a marca de roupas estava começando a ser mais conhecida, mas o INPI indeferiu a marca. “Tivemos que alterar o nome para Vitaboard. Uma mudança dessas causa impactos”. Um ano depois, ele e o pai abriram uma loja física no Tatuapé, com a Vitaboard sendo a principal marca nas vendas. Ao tentar abrir uma unidade em um shopping, no entanto, os dois perderam quase todo o dinheiro que tinham ganho. Tudo isso em apenas seis meses.

Estar atento a novas oportunidades, no entanto, fez de Daniel um cara persistente. Em 2011, usou as milhas do cartão de crédito para ir aos Estados Unidos e comprar produtos. Conheceu uma marca grande, com desenhos de tatuadores famosos. Aí surgiu o interesse pelo mundo da tatuagem. “Um ano e meio depois, mais ou menos, expus os produtos que vendia em um evento de tatuagem. As vendas foram ótimas e me tornei representante exclusivo da marca, montei uma importadora e passei a comercializar as roupas deles no Brasil”, conta.

Até aí, Daniel mantinha seu emprego no banco. Em 2014, depois de ter aberto uma loja na Galeria do Rock, pediu as contas e passou a se concentrar somente nas vendas. “Cerca de um ano depois, já tinha feito mais de 200 eventos de tatuagem, como expositor, e conheci muitos tatuadores”, explica.

Com a disparada do dólar, em meados de 2015, Daniel sofreu mais um baque e acabou quebrando novamente. “Tive que fechar a loja na Galeria e criei uma nova marca, a Krime Clothing, para vender o estoque parado ao varejo e as outras marcas nacionais já existentes para pagar as dívidas”, ao ver que o mercado não estava decolando, investiu na criação de um estúdio de tatuagem sem profissionais fixos.

“A minha ideia sempre foi trazer artistas de ponta, que conheci em todas as minhas viagens, para tatuar em São Paulo. Reformei o meu escritório, montei toda a estrutura no local e inaugurei em 2017”. No primeiro mês tivemos apenas uma tatuagem, três meses depois o estúdio já estava se mantendo. “A evolução mês a mês foi incrível, a clientela só passou a aumentar desde então”, conta.

Apesar da pandemia do novo coronavírus, que interrompeu o atendimento no estúdio, Daniel acredita que dará novamente a volta por cima. “O mais importante é não desistir. Ter um sonho, almejar objetivos e lutar por isso!”, conclui.

Serviço:
iTattooClub
Rua Fortaleza, 246, Bela Vista, São Paulo
Estúdio rotativo de tatuagem
Atendimento com horário agendado
Contato: (11) 98623-2991

www.itattooclub.com

Categorias
MAORI notícias Tendência

A origem da tatuagem Maori: os estilo de tatuagem Tribal mais procurado nos estúdios de tatuagem

Sejam pequenas ou gigantes, as tatuagens tribais fazem sucesso nos estúdios de tatuagem. De acordo com Daniel Couto, proprietário do estúdio rotativo iTattooClub, normalmente, o público que mais busca este tipo de desenho é majoritariamente masculino, mas não é difícil se deparar com mulheres fãs do estilo.

Bastante utilizadas em tribos, por isso o nome semelhante, as tribais são segmentadas com características diferentes, que remetem justamente aos grupos aos quais elas se originaram. “Por aqui, o que as pessoas mais buscam são as maoris”, conta Couto.

Surgidos na Nova Zelândia, com o povo local de mesmo nome, esses desenhos no corpo fazem parte da tradição cultural do país. Em uma entrevista ao portal Terra, Nattie Norman, descendente da tribo Ngati Kuri, explicou que os desenhos precisam “ser conquistados” e o membro da tribo tem consciência de que está recebendo a arte para que um trecho da história da humanidade seja traduzido e eternizado em sua pele.

Na mesma entrevista, Raimona Peni, membro da Ngati Tarawhai, contou que para os neozelandeses, as tatuagens representam a nobreza do ser humano. No Brasil, segundo Daniel Couto, as maoris são utilizadas para ornamentar os corpos. A inspiração pode ter origem, inclusive, em famosos.

Um grande expoente das maoris no mundo é o ator americano Dwayne Johnson, o “The Rock”, que possui uma enorme tatuagem tribal em seu braço esquerdo, invadindo o peitoral. Já na ficção, também é possível encontrar os tribais: no filme Aquaman (2018), o ator Jason Momoa teve os dois braços, peito e abdômen pintados para representar o personagem que tem uma relação muito próxima com o mar.

“Os clientes que nos procuram para desenhar maoris nos dizem, em sua maioria, que o objetivo é afastar a inveja alheia e atrair riquezas para sua vida”, diz Couto. Outros estilos tribais conhecidos no Brasil são as Celta e as Hawaii, que, normalmente, têm esse mesmo arcabouço de interpretações nos desenhos.

Para Daniel, a tendência é que nos próximos anos a busca por este estilo, justamente por seu conceito mais adornado e enfeitado, continue crescendo no País. O culto à beleza tem aumentado entre os brasileiros, segundo pesquisa realizada pelo Google/YouTube em 2018. Em todo o mundo, o Brasil ficou com a segunda colocação em um ranking de populações que mais pesquisam como propiciar mais beleza a si próprio.

Serviço:
iTattooClub
Rua Fortaleza, 246, Bela Vista, São Paulo
Estúdio rotativo de tatuagem
Atendimento com horário agendado
Contato: (11) 98623-2991

www.itattooclub.com