fbpx

A tatuagem e a autoestima feminina

“A Tatuagem é mais que um simples desenho marcado no corpo, o seu significado vai muito além disso” diz Clara Fernandes, cliente.

A tatuagem já foi associada como símbolo de rebeldia, e era determinada a poucas tribos. Ainda hoje, ela é vista com certo preconceito, principalmente em ambientes corporativos. Mas essa realidade vem mudando, já que a tatuagem vem se tornando uma forma de guardar lembranças, sejam de pessoas, animais, momentos, projeções pessoais, por exemplo.

A tatuagem nada mais é que uma forma de expressão, e nos últimos tempos vem assumindo um novo papel: de símbolo do empoderamento feminino, correlacionado a autoestima. Este assunto virou tema de pesquisa realizado pela Universidade Texas Tech, nos EUA, analisando a relação da tatuagem com o bem-estar, chegando-se à conclusão que mulheres com quatro ou mais tatuagens mostram um alto nível de amor-próprio.

A pesquisa liderada por Jerome Koch, Professor de sociologia, comparou o número de tatuagens das candidatas aos seus níveis de autoestima, depressão e tendências suicidas. Mulheres com quatro ou mais tatuagens apresentaram “níveis elevados de autoestima” ao se comparar com candidatas com menos ou nenhuma tatuagem. Para o psicanalista Christian Dunker, professor do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, nos diz: “essa ligação está no fato de se criar visibilidade em forma de arte para o próprio corpo, podendo elevar de forma positiva a imagem que a pessoa tem sobre si”.

O mesmo estudo trouxe a descoberta que mulheres com tatuagens apresentaram ter vivido um período de depressão no passado, levando à especular que fazer uma tatuagem pode ter sido uma tentativa de recuperar um sentido pessoal. Este ponto está mais que provado para Dunker, já que muitas vezes as tatuagens estão ligadas a processos vitais, como o luto e rituais de passagem, como podemos notar em culturas holísticas, por exemplo. “Pode ser um ato simbólico de separação, como é feito em muitas culturas e comunidades, representando um dispositivo de memória, em que a pessoa tem para si que aquela marca representa um fator de sobrevivência, de superação, ou de vitória”, acrescenta.

Além do desenho em pele empoderar as mulheres como clientes, a tatuagem também é uma forte ferramenta para as próprias tatuadoras. Como a maioria dos estúdios de tatuagem eram ocupados somente por homens, hoje, as mulheres vêm dominando também, provando que o lugar das mulheres é onde elas quiserem. Estes espaços têm se tornando convidativos a todos, como pessoas, respeitando seus estilos de trabalho e promovendo o compartilhamento de ideias e pensamentos.